Cornetada Vitoriana nº 165: Então…

Tsc, tsc!

Difícil até começar a escrever. Assunto é o que não falta, é certo. E não é por vergonha, porque Flamengo é Flamengo e nunca, em tempo algum, vai ser motivo de vergonha pra massa bem-vestida e simpaticona. Mas é claro que a invencibilidade carioca iria ser quebrada de algum jeito, seja contra um time ligeiramente melhor, caso do Vasco, seja pra um time que já andou se misturando com a infelicidade da Segunda Divisão, caso do Vasco, seja por obra da arbitragem, caso do Vasco, seja por força de duas jogadas bizarras que resultaram em espalmadas estranhas mas explicáveis, caso do Vasco, seja por orelhada de algum de nossos mulambos, caso do Vasco.

O jogo de ontem, jogaço por sinal que, claro, tinha que ter o Flamengo como um dos protagonistas, foi mega estranho, por umas razões mega estranhas. Começamos com 1 a 0, numa jogadaça do Love e um chute sinistro, redundantemente de canhota. Poderia ser o prenúncio de uma goleada, mas não tivemos competência em liderar o placar e fazer o Vasquinho sentir o golpe. Ao contrário, parece que, ao ceder o empate logo, cedemos também o ímpeto de ganhar da rafameia da camisa feiona. E mais ainda quando nosso Deivid perdeu um gol absurdo. O problema é que esse tipo de presepada, que acontece a toda hora no futebol, ganha muitas dimensões inesperadas no Flamengo. É possível que o Deivid seja marcado por esse lance mais que o Palermo pelos três pênaltis perdidos em um só jogo. Bom, voltando aos estranhamentos, mesmo jogando contra um time melhor, mantivemos a posse da bola, mas não fomos lá muito efetivos. O que foi lamentável, já que, por isso, demos a chance de fazer valer o grito que a torcida mal-vestida insiste em acreditar ser verdade: o do time da virada. Depois disso, atacamos desordenadamente e o Vasco jogou como time pequeno, claro, se fechando e esperando o tempo passar.

Bem, vamos deixar pênaltis não marcados, impedimentos mal assinalados e um monte de inversões de faltas e até de saídas de bola de lado, já que Flamengo que é Flamengo não se mete nesse troço de arbitragem. Mas é legal fazer a arco-íris lembrar que todos os times, todos, sofrem com juízes ruins ou, e por que não dizer, desonestos.

Pra terminar, gostei do jogo de ontem. Não pelo resultado, claro, mas por ver que o Flamengo joga quando quer jogar. Ontem quisemos, apesar do Ronaldinho e sua preguiça, do Love e sua falta de ritmo e da defesa e sua falta de tudo.

Flamengo até morrer!

Anúncios
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • RODRIGO DIAS  On 24 fevereiro, 2012 at 5:42 pm

    Sei não. Se fosse exatamente o contrário, estaria aquele chororô interminável por conta de pênalti não marcado. E, de fato, o pênalti no Léo Moura não ter sido marcado é um roubo descarado. Só que, contra o Flamengo, ninguém comenta, passa como se não tivesse acontecido. E como tem acontecido! Fora tudo isso que vc disse, um monte de faltas invertidas, impedimento mal marcado que deixaria o Love na cara do gol… aí é foda! Agora, o Ronaldinho, francamente, vá se f&^$&^&%ôder!! Um milhão e meio por mês pra essa palhaçada!?! SObre o Deivid, coitado, não dá nem pra comentar, que troço ridículo. Enfim, vamos pra Taça Rio e, principalmente, pra Libertadores um pouco mais esperançosos, creio. Apesar da derrota, foi a melhor atuação recente do Fla, que não vem jogando p… nenhuma. A ver. Abraços, saudações rubro-negras.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: