Tag Archives: Diretoria

Cornetada Vitoriana nº 172: Papai Joel e a revolta das renas

É bem assim mesmo

Quando você é interpelado por um primo adolescente sofredor do Chorafogo, dizendo que seu (meu) time é vergonhoso, pode ter certeza de que não só algo, mas tudo está errado. Claro, bastou lembrar que vergonha é jogar a segunda divisão e que isso é coisa de time pequeno para o assunto se encerrar, mas que esse é um dos sinais do fim do mundo, pode ter certeza que sim.

Outro sinal do fim dos tempos: Papai Joel e a crise de relacionamento com a mulambada. Longe de ser unanimidade entre dirigentes e torcedores, o cara sempre foi querido e respeitado pelos jogadores. No entanto, em pouco mais de 4 meses de trabalho (?), sendo um de férias, o grupo não está fechado com o treinador. Ao contrário, bocas de matildes dão conta de que o clima não poderia ser pior. Joel invariavelmente tem prazo definido, mas acho que ele não dura até a última chuva de Brasília. Pior que esse cenário é imaginar quem vem pro seu lugar.

Bom, quanto ao jogo, nada muito diferente das demais contendas desse vexatório Flamengo v. 2012. Fizemos o que sabemos fazer de melhor, de novo: engolir o adversário nos primeiros 20 minutos e ser engolido no resto. Lamentável. Nem a substituição do Pilequinho Gaúcho foi capaz de acender uma centelha de esperança. Pior, deve ser responsável por aumentar o babado entre jogadores e comissão técnica.

Desnecessário lembrar que a culpa desse estado insustentável de coisas é da diretoria amadora e incompetente.

Flamengo até morrer!

Cornetada Vitoriana nº 171: Impaciente mode on

A paciência com o cara chegou ao limite.

Sábado, dia de sol, com friozinho bom na capital de todos os brasileiros, perfeito para ficar ansioso, na espera pela estreia do Mengão lá na Conchichina. Almocinho bacana, Eisenbahn no ponto, trato na moto, papo agradável, mas a cabeça ia sozinha lá pra Ilha do Retiro, em Recife, palco insuficiente para um jogo do Flamengo, mas mais que perfeito pro genérico xexelento que nos receberia. A bem da verdade, o que penso sobre as ambições do Flamengo neste campeonato não justificam a ansiedade provocada pela seca de 28 dias sem me descabelar por um jogo do Mais Querido. Mas sou torcedor e, mesmo não acreditando na piada sem graça que nossos dirigentes estão fazendo ao manchar a história do maior clube do Brasil com uma administração tosca, tudo o que posso fazer é torcer.

E eis que chega a hora do embate. Pela primeira vez na minha vida, acho, confiando no Flamengo como confio nos três patetas cariocas. Ou seja, nem um pouquinho. Por motivos diversos, um deles já citado acima. O outro: as poucas condições de trabalho para o nosso treinador treinar o time. Não que caia de amores pelo papai, mas o cara não tem o mesmo nível de exigência do profexor, e isso dificulta muito as coisas. E mais um: a total falta de comprometimento de algumas peças do elenco, a começar pela estrela da companhia, o infeliz Ronaldinho, e pela falta de talento de outros tantos. Falando no cara, não dá mais, cansou, já deu. O cara atrapalha o time, não rende, não se envolve, se esconde do jogo e não produz muito, além de ser responsável sozinho por cerca de 20% da folha de pagamento. Tá na hora de acabar com a graça desse sujeito.

Bem, confesso que, mesmo desesperançoso, a camisa que joga sozinha poderia brilhar mais uma vez, até porque o adversário genérico resignado não assusta ninguém. Não foi o caso. Quando o melhor em campo é o nosso goleiro, nada pode ser considerado bom. Fazer um pontinho contra esses buxas, que devem voltar pro pântano lamacento das divisões putrefatas do futebol nacional ainda este ano, significa que dois foram perdidos. Menos mal que foi fora de casa. Mas o horizonte traçado para o Flamengo nesse Brasileirão, a depender do que vimos no jogo de estreia, me parece mais torto que tira-teima de vascaíno. Vai ser dose!

Flamengo até morrer!

Cornetada Vitoriana nº 170: Round 1

Dúvida!

Amanhã é dia de um dos maiores acontecimentos da humanidade. É dia do Mengão entrar em campo, depois de quase um mês de férias. Férias mesmo, nisso a rafameia mal-vestida está certa, tanto para jogadores, quanto para dirigentes, já que treinos e contratações foram eventos pouco vistos nos rincões Rubro-Negros nestes últimos dias.

Tudo isso contribui para uma atmosfera inóspita para os pavilhões flamengos, o que é, de novo, lamentável. Demorei a perceber o quanto um mínimo de organização e gestão são importantes, até mesmo para um clube de futebol. E o Flamengão parece não dispor de um mínimo disso. O que acaba se refletindo no primeiro semestre pífio e na carência absoluta de contratações em um time que precisa de reforços, exceção feita ao Ibshow.

Nesta mesma época, no ano passado, dei um pitaco que dizia que o Flamengo iria deslanchar com as contratações pontuais aventadas na ocasião. Eram eles o Alex Silva, o Airton e o André, que acabou não vindo, e foi pagar mico no Patético Mineiro. Quanto aos outros dois, não disseram a que vieram, melhor nem terem saído do lugar. Mas o time até que foi longe, tendo estado bem colocado durante o campeonato inteiro. Mas sem encher os olhos, como imaginei.

Difícil dizer algo sobre o Flamengo de hoje. Confiança no time eu não tenho muita, mas no Flamengo tá sobrando. Sim, porque são coisas bem diferentes.

Bem, o primeiro compromisso é contra um freguês contumaz, um timinho que teima em ser o que nunca serão, e que é dado a ataques de pelanca quando à baila vem o assunto Flamengo Doutrinador Mega Blaster do Balípodo Mundial. Não espero menos que 3 amanhã, mas me contento com os 3 pontos.

Flamengo até morrer!

Cornetada Vitoriana nº 168: Esses caras nunca vão se acostumar a perder pro Mengão?

O que dizer sobre os acontecimentos recentes da vida flamenga? Crise na Gávea, administração tosca, dúvida sobre a utilidade do nosso astro, vitória (mais uma!) sobre o Vice eterno, papai Joel e seu processo de desaprendizado, iminente desclassificação antecipada na Libertadores, chororô de quase 48 horas dos bem infelizes da camisa feiona… A lista é ampla, do mesmo tamanho da minha preguiça em falar sobre ela. Mas não dá pra deixar em branco assuntos tão interessantes.

E não é que a nossa diretoria amadora, barbeira e improdutiva consegue se superar a cada dia? Meu Deus, o que se passa na cabeça de dirigente de futebol? Do que é feita essa massa embolorada que esse povo chamada de cérebro? Olha, não é porque a Magnética é a matéria mais abundante do universo, empatada com o hidrogênio, que devemos ser tratados como uns quaisquer. Basta sermos desrespeitados, vilipendiados, menosprezados para que ressurjamos e voltemos aos patamares de excelência que teimam em querer nos tirar. Isso vindo da massa ignara da arco-íris, até dá pra entender. Agora, fogo amigo é dureza. Porque só pode ser isso pra explicar os desmandos de que nossa nobre instituição é vítima. Haja ignorância gerencial, pelamordeDeus! E o que isso gera? Rá, crise eterna, coisa que já está no DNA Rubro-Negro, o que é até bom por um lado, mas seria melhor que não ocorresse com tanta freqüência.

Outro bom exemplo dessa governança maldita reside em algum apartamento de luxo da Barra da Tijuca ou transita em carrões pelas baladas da capital de todos os riodejaneirenses. Antes de morder, vou dar uma assoprada. Nosso camisa 10 é craque, ainda dá passes como ninguém, lançamentos precisos e dribles desconcertantes. Me parece, no entanto, que o cara não consegue entender que ele precisa render mais, ser mais profissional, chamar a responsabilidade do jogo, ser mais atleta e menos celebridade e ser um jogador só um pouco acima da média que basta. Mas não rola. O cara não consegue, e acho que não consegue jogar futebol porque não quer.

Atropelamos nossa baranga de fé, mais uma vez, sem dó nem vaselina, num momento problemático. É claro, nada melhor que o Vice pra sempre pra pegar pela frente em épocas inglórias como essa. Do jeito que foi, melhor ainda. A jamanta Rubro-Negra destruiu as esperanças do nosso rivalzinho com um futebol, na maior parte do tempo ruim, mas de alguma forma, e surpreendentemente, competente. E, como se não bastasse, com gol de pênalti (sim, viceínos, pênalti é aquilo que fizeram no Léo Moura) convertido com maestria pelo Ronaldinho aos 47 minutos do segundo tempo. Ah, mais um recado pra naufragália: penalidade máxima só ocorre quando um jogador adversário comete uma falta dentro da área. A condição, única, é que tenha sido falta. Em resumo, só com falta dentro da área o juiz apita pênalti. Essa instituição do futebol só pode ser apitada quando ocorre, e não quando uns seilaquezinhos vestidos com camisas que mais se parecem cintos de segurança pintados querem. Por fim, se me permitem um toque (calma, o toque que vocês estão pensando foi dado no sábado de aleluia): muito feio, grande papelão esse negócio de correr atrás de juiz. Quebrar o estádio alheio, então, nem se fala. Mas pior ainda é o chororô eterno, de presidente, de time todo, de torcedor. Ah, não quero mais falar sobre esses pobres coitados.

Joel está balançando no cargo, acho, cedo demais. Uma possível, mas improvável classificação na Liberta pode ajudar na sobrevida. Depois de um papelão atrás do outro, não me admiro ao pensar que essa talvez seja uma boa ideia…

Flamengo até morrer!

Cornetada Vitoriana nº 133: Ninguém aguenta mais uma crise…

O apocalipse Rubro-Negro que se avizinha, sem pessimismo.

Olha, eu não me lembro, em nenhum momento das minhas quase 4.0 cilindradas, de ter visto tanta coisa boa e tanta coisa ruim, ao mesmo tempo, relativas ao Flamengão Passa Rodo Geral. O time está invicto a 17 jogos, sendo 16 neste ano, 4 meses ocupando o alto da cadeia alimentar do ludopécio mundial. É o campeão da Taça Guanabara e tem vaga assegurada na final do Carioqueta 2011. Tem um elenco bom, craques como Thiago Neves e Léo Moura, um técnico de ponta, e uma estrela contratada com requintes hollywoodianos, caso do Ronaldinho Carioca. Populares afirmam que o ambiente na Gávea é bom, que reinam a seriedade e o companheirismo, os salários estão em dia, as contas também, e problemas de indisciplina estão equacionados. A base está produzindo, e tem tempo que não temos uma geração tão boa quanto a formada por Guilherme Negueba, Galhardo, Adrian e Diego Drogbinha Maurício, joga-muito-jóia-rara. Até de base aérea americana estamos servindo…

No entanto, nem tudo são flores. O time não vem jogando lhufas, salvos um lampejo ou dois, ao menos de grupo. São raros, mas existem momentos em que o time parece time, como quando o meio toca pra cá e pra lá, na frente da área adversária. Mas é muito pouco. Com os jogadores que temos, e com o comandante Luxa à frente, não é por nada não, era pra estarmos anos-luz à frente da naufragália multicolorida, mal vestida e sofredora. Mas não. Não temos sequer um time pronto. Não sabemos qual é o nosso ataque, nossa lateral esquerda faz com que joguemos com 10 todo jogo, o meio pouco produz e a defesa mostrou a sua cara no jogo contra o inofensivo Madureira. Os resultados desse time, tirante os 3 últimos, nos quais empatamos contra times pequenos e inexpressivos (Florminense, Cabofriense e Madureirense), são flamengos bagarai. Mas o time em si e, consequentemente, o jogo que esses caras estão fazendo, estão longe das tradições e da superioridade Rubro-Negra Matadora Aniquiladora da Pestilência Reinante. Mas, ainda assim, somos melhores que os outros 15 molambos do estado da Guanabara.

Que temos a melhor torcida do mundo, nem mesmo os pobres coitados que compõem, somados, os outros 82% da população brasileira, ou 50% da carioca duvidam. E, ao mesmo tempo em que acho que a Nação Rubro-Negra manda bem, mesmo na cortenada, tenho medo de que esteja também atrapalhando. Vaiar um ou outro, vai lá. Mas o time inteiro?

E ainda tem o caso do Impera. E a teimosia da Diretoria e do técnico. Não gosto muito de exercícios de criatividade na elaboração de cenários futuros. Mas se o presságio do fim do mundo que seria a não conquista do Carioca acontece, concomitantemente com uma boa estreia do Adriano no invejoso, pestilento e vascainamente mal-caráter Chorinthians, a casa vai cair pro nosso lado. O Luxemburgo não agüenta a pressão, ou os gênios dirigentes vão ouvir a torcida e o resultado será o mesmo: troca de técnico no meio da temporada. E isso em um mercado ralo de bons nomes para técnico. Ou seja, particularmente, vou ter que me render a algo que não me seduz muito: torcer contra um cara de quem gosto e de quem sou fã. E torcer mais que o normal para que o Flamengo se sagre campeão carioca, o que, na minha idade, é um tanto perigoso. Como não ligo muito para a prática do bom futebol, mas sim para a do bom Flamengo, dane-se Corinthians, dane-se Adriano. Que dê Flamengo do lado leste da Dutra e que o Adriano seja feliz, mas não o time em que joga. Porque se acontecer o contrário, a crise que sempre se avizinha vai entrar bicando portão gaveano adentro, ainda no primeiro semestre.

Estou sinceramente temeroso de que nosso treinador tenha perdido a mão até naquilo que, dizem, ele faz de melhor: contratações. Pô, o Impera queria o Fla? Então, faz um contrato pródigo em cláusulas de comportamento, paga menos do que ele estaria pedindo – isso é mercado, lei da oferta e da demanda – e deixa o pau comer. Como a maioria dos casamentos atuais, se não der certo, divórcio. E pronto. Outro ponto: com caras como os já citados, mais um bom goleiro, Maldonado, Canelada e o destroyer Willians Ninja, não dá pra não se ter um time. E não temos um time, definitivamente. Ou seja, tá faltando dedo de treinador no Flamengo invicto e superior a todos os outros.

Vamos aguardar o que rola, mas acho que o futuro que se aproxima é, no mínimo, obscuro.

Flamengo até morrer!

Cornetada Vitoriana nº 129: Hexa e aquela historia

Então, mais uma vez, o Botafogo é eliminado de uma competição pelo doutrinador Mengão do meu coração. Quem diria? Ora, todo mundo que está situado na cadeia alimentar acima do plancton diria. Engraçado é ver esses mortos de fome não terem forças mais nem pra chorar pitangas. Perderam, como previsto e propagado pelos 4 cantos do mundo, na bola, em campo. Aliás, como todas as outras vezes. O fato é que o Mengão foi melhor, e nem precisou de uma atuação de gala pra atropelar o Foguinho, que nem vice vai ser. Exceção, claro, feita ao nosso herói da ocasião, Felipe, o novo Bruno.

Consequência desse atropelo? Vamos encarar o bom Boavista, segunda força do futebol carioca, que segurou o Flor, conforme esperado. Aliás, a briga pelo posto de piada carioca vai se acirrando, com tricoletas, viceinos e chorafoguenses lutando, cabeça por cabeça, pela indigna posição. E nós, Rubro-Negros de boa cepa, lá, no Olimpo, do alto de nossa magnânima posição de predadores naturais de timecos oriundos das profundezas do inferno das divisōes menores do futebol mundial, nos refastelando de tanto rir, humilhar e ver esses infelizes humilhados por times menores ainda que eles!

Vi o jogo em Orlando, Florida, USA. Com o Mengão onde o Mengão estiver…

A CBF de futebol reconheceu o Flamengo como campeão brasileiro de futebol masculino da primeira divisão de 1987. Grande coisa! Só faltavam eles no mundo pra ver o óbvio. Digno de nota sobre esse assunto estão a posição covarde do Clube dos 13, que vai sentir a falta do apoio pesado do Flamengo em suas deliberaçoes e o mau-caratismo da diretoria da bambilandia, que não foi capaz de manter a palavra assinada em 1987, ao apoiar o Flamengo, ou qualquer outro campeão da PRIMEIRA DIVSAO, e fazer questão desse trofeu ridiculo, tipo meu-meu-e-meu. Coisa de time pequeno mesmo…

Flamengo até morrer!

Cornetada Vitoriana nº 117: Parece o Tiririca, pior que esta nao fica…

Ala, ta dando mais nao, hein! Um time que nao ganha do pequeno Goias, uma das piores coisas que ja vi alguem chamar de equipe de futebol so pode estar de brincadeira. O que esses caras tao pensando, mano? O adversario entrou pra nada, cheio de medo, e a gente conseguiu nao ganhar dessas malas? Ah, tenha paciencia. Alias, paciencia e o que nao tenho mais com esse treinador que inventaram pra gente. O cara nao manja nada de futebol, de Flamengo e de Brasileirao. Bola fora, diretoria! Po, como o cara expoe um jogador como o Silas fez com o Jean ontem? Tudo bem, o Jean nao manda nada, e fraco e queimou minha lingua. Mas ninguem faz gol contra por querer, certo? E quem o escala e, sim, culpado pelas bobagens que fazem. Bola fora, Silas!

Bom, Botafogo agora. Ah, vamos ver…

Flamengo ate morrer!

Cornetada Vitoriana nº 104: Primeiro golaço do Zicão!

O que dizer sobre a tão inesperada quanto bem-vinda vitória do Mengão sobre o verdinho paulista lá em plagas porcolandenses? Nada. Ou melhor, vamos tirar o dedo do nariz e deixar a preguiça de lado. Temos um pouco a falar, sim. Que jogo horroroso! É bem verdade que o gol do Lovers a 2 minutos do final, depois de uma jogada que começou com uma falta, redundando naquilo que o Palmeiras faz de melhor (levantar bola na cabeça do zagueiro adversário e entregar o contra-ataque), lavou a alma. Aliás, essa jogada, desde a saída de bola, de pé em pé da defesa até a área verde, a passagem do Lovers por meia zaga, a colocação de mais 3 ou 4 jogadores dentro área e o chute certeiro no canto direito do Marcão, poderia virar benchmarking de contra-ataque. Deveria entrar para os manuais de prática de futebol. O jogo foi ruim mas foi bom…

Minha opinião sobre a contratação do Zicão como Diretor-Executivo de futebol do Flamengo: boa para o Flamengo, ruim para o próprio Zico. Quero dizer que o cara precisará de muito apoio, dinheiro (que só sua presença deve trazer), vontade e, sobretudo, comprometimento dos demais membros da diretoria, do Conselho Administrativo, das milhares de correntes políticas da Gávea, de jogadores, atletas e funcionários e, até, de nós, torcedores. O Zico só não pode deixar de ser o nosso deus vivo, fazendo ou não um bom trabalho. Isso só depende da gente…

Com o resultado de ontem, só dependemos de uma vitória sobre o pequeninho goiasim do técnico Clodovil para ficarmos um mês inteiro no G4. Inspirador!

Flamengo até morrer!

Cornetada Vitoriana nº 99: Curtinhas

Com um tempo inteiro com um jogador a mais, como se diz nas transmissões óbvias de TV, não conseguimos transformar em gols a superioridade numérica.

O time continua sem jogada e o esquema tático, além de ter sido mantido, é muito previsível, até por times gringos como o de ontem.

Não que haja um culpado para o que houve ontem, mas o David tem que se criar. To quase usando a frase “David não dá mais”.

O mesmo pode ser dito sobre a presidente.

Depois da entrada do Denis Marques a lua de mel de 3 jogos com o Rogério acabou. Eu nunca vi a torcida do Flamengo gritar contra um jogador que nem havia entrado ainda.

O negócio tava tão samba do crioulo doido que o Léo Moura abdicou da lateral direita e virou meia.

A mística da raça Rubro-Negra deveria entrar em campo na defesa como entra no ataque.

Apesar de toda a vontade demonstrada ontem, o Adriano confirmou àqueles que ainda reclamam de sua não convocação porque ele não foi convocado.

O Juan Marrentinho jogou muito bem ontem e foi premiado com o gol da classificação.

Lembrem-se que 2 a 0 pro Corinthians, no primeiro tempo do jogo de volta das oitavas, classificava o Corinthians.

Flamengo até morrer!

Cornetada Vitoriana nº 95: Deixou chegar, f…!

Ganhamos sem jogar, em 3 estádios, cidades e países diferentes. O Mengão de sempre, doutrinador e manda-chuva do universo, vai, sim, pras oitavas de final da Liberta 2010, ainda que as contingências nos tenham levado a uma classificação sofrida e dramática. Temos a pior campanha da primeira fase, mesmo que este status tenha sido conquistado por intermédio de um gol mandrake atribuído a um misto de falta de atenção, com barbeiragem, com falta de vergonha na cara, no jogo contra o Universidad de Chile, na quinta-feira da semana passada. Não fizemos nossa parte, que era mandar um chocolate no Caracas, mas deu tudo certo, e isso é o que importa.

O Andrade não é mais técnico do Flamengo. Sem cornetada desnecessária, o cara tem muitos méritos, mas outras qualidades, digamos, carentes de aperfeiçoamento. Toda a Nação deve muito a ele, e deseja toda a sorte do mundo em sua nova jornada. O Hexa que ele nos deu é inesquecível, e seu nome ficará gravado pra sempre no pavilhão de conquistas Rubro-Negro!

O Corinthians será nossa próxima vítima na Liberta 2010. Freguês contumaz, no entanto, são dois jogos complicados, e que têm tudo pra ficarem na história. A mulambada vai ter que justificar a fama, o salário e, sobretudo, o sangue Rubro-Negro.

Graças a Deus, parece que o Jaba, the Hut, leia-se Marcos Braz, também vai vazar.

Flamengo até morrer!