Tag Archives: Libertadores 2012

Libertadores 2012: Flamengo X Lanús – 12/4/12

Vamos lá, aqui é Flamengo e tem que respeitar. Torcendo mais para o empate no Paraguai (para o quê? Paraguai!), vai dar Mengão: 3 a 1.

Flamengo até morrer!

Scout 2012: jogo 21

Emelec 3X2 Flamengo
4/4/12
Libertadores 2012
Gols: Léo Moura, 7′ e Deivid, 42′, 1T
No ano: 11V, 5E, 5D; 60,3%; 35 gols pró, 21 gols contra
Vagner Love – 10
Ronaldinho Gaúcho – 5
Léo Moura – 4
Bottinelli – 2
Deivid – 2
Jael – 2
Kleberson – 2
Luiz Antônio – 2
Adryan – 1
David Braz – 1
Camacho – 1
Negueba – 1
Renato Abreu – 1
Thiago Medeiros (Madureira) – 1

Libertadores 2012: Emelec X Flamengo – 4/4/12

Flamengo é sempre no perrengue. Mas agora tá demais, não merece a classificação mesmo. E não ficou mais difícil por causa da goleada do Lanús ontem, mas pela incompetência em não ter feito o mesmo no jogo contra o Olímpia no Engenhão. Agora, tem que ganhar as duas pra não precisar torcer pra time que não vai nos ajudar. Vamos com fé: Flamengo 2 a 1.

Flamengo até morrer!

Scout 2012: jogo 19

Olímpia 3X2 Flamengo
28/3/12
Libertadores 2012
Gols: Vagner Love, 3′ e Bottinelli, 32′, 2T
No ano: 10V, 5E, 4D; 61,4%; 31 gols pró, 17 gols contra
Vagner Love – 8
Ronaldinho Gaúcho – 5
Léo Moura – 3
Bottinelli – 2
Jael – 2
Kleberson – 2
Luiz Antônio – 2
Adryan – 1
David Braz – 1
Camacho – 1
Deivid – 1
Negueba – 1
Renato Abreu – 1
Thiago Medeiros (Madureira) – 1

Libertadores 2012: Olímpia X Flamengo – 28/3/12

Guerra! Se apanhamos feito mala velha em casa, imagina o que não vai acontecer em Assunção. O jogo vai ser duro, não mais que as entradas dos paraguaios. Mas vamos com fé, dá pra ganhar, assim mesmo, sob pena de comprometer a classificação. 2 a 1 para o Flamengo.

Flamengo até morrer!

Cornetada Vitoriana nº 167: Mais do mesmo

Entrosamento garantido

Geral tá preocupada com essa história de contratação do Imperador. A maioria quer, os mais racionais não. Essa é uma das poucas situações que envolvem o Flamengo que não tenho opinião a respeito, além da básica. Se for o Adriano de 2009 e blablablá… Agora, se for o do Corinthians… Bem, o cara escolheu Búzios para se refugiar e continuar o tratamento. E foi visto num show do Belo, junto com o Ronaldinho Gaúcho. Algumas supostas inferências sobre isso: péssimo gosto musical, más companhias, é o mesmo Adriano do Corinthians.

Falando no Gaúcho, afirmam populares que ele faltou a metade dos treinos convocados pelo Joel. A coisa vai bem desse jeito. Já não joga nada treinando, daqui a pouco vai deixar de jogar por falta de preparo. Apesar do bom jogo na quinta pela Liberta, não vai ser sempre assim e a gente sabe o porquê.

Na protocolar e sofrida vitória sobre o Friburguense pelo carioqueta, nada muito a dizer. A não ser o segundo bom jogo seguido do Luiz Antônio e a ressurreição do Penta filho de Kleber.

Bom, o Lanús ganhou a segunda seguida, ambas sobre o Emelec, que parece ser a carne assada do grupo, e nos obriga a aplicar uma traulitada no Olímpia pela Liberta, lá no chiqueiro deles. Se no jogo daqui já apanhamos feito mala velha e entregamos a rapadura daquele jeito, imagina em Assunção…

Flamengo até morrer!

Cornetada Vitoriana nº 166: O dia em que o Flamengo jogou como o Flamengo e não ganhou como os três patetas

Nem tudo foi tão ruim

Tudo conspirou para um resultado melhorzinho que um empate amargoso. O departamento médico escalou a melhor formação do Flamengo no ano e, por um instante, me fez acreditar que o vírus barcelonococos tinha infectado o sangue do nosso velho novo técnico. No primeiro tempo, apesar das chances perdidas pelo Botafogo paraguaio, a molecada mostrou vontade e futebol suficientes para se desenhar um segundo tempo alvissareiro. E não deu outra. Tava mais fácil que jogo contra muito time carioca e no horizonte despontava uma traulitada de 6, 7. Ronaldinho (!), Love, Bottinelli, Gonzalez e, principalmente, Luiz Antonio jogaram bem demais e o restante não comprometia. Perdemos por 3 a 3 um jogo para um time no qual o Mini Biancuchi é titular!

Foi quando o Joel se mostrou Joel, o Flamengo se mostrou Fluminense e o Olímpia se mostrou Flamengo. Nosso fanfarrão treinador não soube fazer o time manter o placar, mais uma vez, na terceira do ano (Lanús e Vasco foram as outras duas) e, no que parecia improvável, quase impossível, cedemos um empate terrível. Faltou manha, saber jogar a Liberta, segurar bola no ataque, tocar a bola como fez nos primeiros 75 minutos de jogo, fazer alterações. E deixar o Negueba no banco. É claro que o pobre não influenciou no resultado, mas… Ah, deixa quieto. No entanto, for the records, o que vêem nesse sujeito? Ele nunca resolveu nada, não que me lembre. E o que tinha pra resolver em um jogo que estava 3 a 0? Como eu disse, deixa quieto.

Bom, o fato é que temos coisas boas a se tirar disso. O time de ontem jogou muito bem, muito melhor do que com os titulares em campo. Mais lições: Libertadores não é carioqueta; Olímpia não é Vasco; juiz sul-americano não é juiz brasileiro. Podia ser pior, se fosse um jogo de mata-mata. Aprendam, mulambada!

Flamengo até morrer!

Scout 2012: jogo 16

Flamengo 3X3 Olímpia
15/3/12
Libertadores 2012
Gols: Bottinelli, 37′, 1T; Ronaldinho Gaúcho, 13′ e Luiz Antonio, 18′, 2T.
No ano: 8V, 5E, 3D; 60,4%; 24 gols pró, 12 gols contra
Vagner Love – 5
Ronaldinho Gaúcho – 5
Jael – 2
Léo Moura – 2
Luiz Antônio – 2
Adryan – 1
Bottinelli – 1
Camacho – 1
Deivid – 1
Kleberson – 1
Negueba – 1
Renato Abreu – 1
Thiago Medeiros (Madureira) – 1

Libertadores 2012: Flamengo X Olímpia – 15/3/12

Contra uma espécie de Botafogo do Paraguai, vamos com tudo pra assegurar a liderança do grupo e ir com mais folga pro returno, já que temos mais dois jogos fora. Vamos tomar zero gol, por causa do xerifão Gonzalez, e fazer 3, porque tô afim de gritar direito e porque o Love tá pegando o jeito. Flamengo 3X0.

Flamengo até morrer!

Cornetada Vitoriana nº 163: Big

Carne assada argentina

Geral pode falar o que quiser, mas a pelada vista em La Fortaleza, na Argentina, ontem, foi mais dura pro adversário que para o Flamengo. Confesso que super-hiper-ultraestimei a Fiorentina porteña, já que achei que o jogo seria mais duro. No entanto, pelo que vi, bastava Papai Joel ter feito o dever de casa e assistido a um ou dois jogos do La Anús, verdadeira carne assada, conhecido seus próprios jogadores e escalado um time um pouco mais ofensivo pra termos metido uma goleada na beira do Prata. As cólicas já começaram na escalação e, como se não pudesse piorar, nas explicações do Professor para a decisão de sair jogando com o Ayrton e não com o Botina: “Tanto faz, foi o Ayrton, como podia ter sido o Botinelli”. Ah, colé! Bem, o fato é que, com 4 volantes e contra um time ruim de doer, fazer 1 a 0 a la Barcelona até que foi lucro. Nego não tá ligado, mas o gol começou com o Léo Moicano, lá na defesa, a bola foi passada umas 20 vezes, de pé em pé, até chegar no fraquíssimo Júnior César perdido lá na inóspita (pra ele) linha de fundo, que cruzou para o arremate de nosso grande lateral direito. Um gol tão improvável quanto comemorado, já que a parada tava dura.

Acho que faltou ao Flamengo de ontem vontade de ganhar o jogo. A duas peças principalmente: à musa Ronaldinho e ao mestre Joel. O primeiro não me parece mais nem sombra do que foi até a draga dos 10 jogos sem vitória que nos limou da luta pelo hepta no ano passado, o que também já não era nada se comparado com ele mesmo no Barcelona. Já o segundo merece e precisa entender que o Flamengo não é nenhum Bafana-Bafana, Botafogo ou Bahia. O time é grande demais pra jogar pequeno. O discurso deve ser mais alinhado com a prática. Se declara que vai pra cima, que o hino diz vencer, vencer, vencer e blablablá, vai em campo e joga pra vencer. Bom, não preciso ficar lembrando isso aqui. Ah, nem vou mais falar sobre esse assunto. Pelo visto, em outros posts essa porcaria vai ser mais presente ainda.

Não poderia deixar passar em branco uma situação aqui: por que o Vice jogou com a camisa do Olaria ontem contra o Volta Redonda?

É isso, sábado, 16h20, dentro da grade de programação da Rede Globo de Televisão, pegamos o Resende por uma vaga nas finais da TG. É pra cima, com time aguerrido, e a diva do cabelo esticado ligada no jogo. E Papai Joel, por favor, mais Flamengo e menos retranca.

Flamengo até morrer!